Osteocondroplastia

Cirurgia de correção das lesões de cartilagem por termo abrasão com uso de técnica de radiofrequência ou microfraturas nas lesões.

Essa técnica é utilizada em casos seletos e tem em vista a formação de canais por meio de perfuração óssea, estimulando o sangramento para a formação de tecido reparador no local.


Sinais

  • Dor;
  • Edema;
  • Limitação de movimento;
  • Bloqueio articular;
  • Falseio;
  • Derrame articular.

Cuidados Pós-Operatório

  • Ficar de repouso, evitando aplicar qualquer tipo de peso na perna por, pelo menos, 4 dias;
  • Manter a perna elevada acima do nível do coração por 2 a 3 dias, para diminuir o inchaço;
  • Aplicar uma bolsa gelada na região do joelho várias vezes ao dia, durante 3 dias para aliviar o inchaço e a dor;
  • Tomar os medicamentos receitados pelo médico no horário correto, para manter a dor bem controlada;
  • Normalmente, precisará de muletas para se locomover durante alguns dias;
  • Após, mais ou menos, uma semana, deverá iniciar sessões de fisioterapia para tratar as dores e a movimentação do joelho;
  • O retorno às caminhadas e corridas pode ser feito com cerca de 30-45 dias depois da operação. Atividades físicas e esportes que exigem mais esforço do paciente, devem aguardar um período maior antes de serem retomados.
Dúvidas Frequentes

A cartilagem é uma estrutura altamente organizada, mas não possui suprimento sanguíneo próprio. É particularmente difícil restaurar ou duplicar, uma vez danificada ou perdida.

Lesões em qualquer parte deste sistema complexo podem afetar suas propriedades funcionais.

O acompanhamento deve ser feito semanalmente e, depois, mensalmente. Como a cicatrização do tecido cartilaginoso é lenta e gradual, um mínimo de um ano de seguimento clínico se faz necessário.

De seis a oito semanas, em média. Isso é muito importante para que a área trabalhada possa cicatrizar corretamente.

Sim. Em média, dentro de duas a três semanas no período pós-operatório já é permitido dirigir.

Idealmente, a fisioterapia deve ser iniciada no dia seguinte ao procedimento e, como envolve fases como a analgesia, ativação, fortalecimento muscular e ganho de agilidade neuromotora, deve ter duração média de seis a oito meses. Em alguns casos, até um ano.

O sucesso envolve uma boa seleção de paciente para determinada técnica cirúrgica, uma boa habilidade do cirurgião e reabilitação pós-operatória adequada.

Para pessoas cujo trabalho exige que se ande ou caminhe, o retorno ocorre dentro de dois a três meses. Já aqueles que conseguem trabalhar sentados e podem fazer o chamado home office, podem retornar em duas a três semanas.